quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Avaliações


Sobre a nudez forte da verdade,
o manto diáfano da fantasia

(Epígrafe de “A Relíquia” de Eça de Queirós

Avaliações (4)

                                                  (Continuação)
VII - Ciclos, domínios e fatores

Os estabelecimentos de ensino são avaliados por uma equipa exterior à escola objeto de avaliação. Esta avaliação enquadra-se no âmbito da avaliação organizacional. As escolas preparam o processo de avaliação de acordo com os documentos de enquadramento. Depois de uma fase de experimentação, avançou-se para a aplicação generalizada do processo. Em 2011-2012, iniciou-se novo ciclo de avaliação.

Inicialmente a avaliação centralizou-se em cinco domínios: “Resultados”; “Prestação do serviço educativo”; “Organização e gestão escolar”; “Liderança” e “Capacidade de autorregulação e melhoria da escola/agrupamento”, sendo quatro os níveis de avaliação: Muito bom; Bom; Suficiente e Insuficiente. No novo ciclo de avaliação os diversos domínios e fatores que os suportam foram restruturados - embora no essencial permaneçam os mesmos. A avaliação passou a incidir em três domínios, em vez dos cinco anteriores: “Resultados” “Prestação de serviço educativo” e “Liderança e gestão escolar”, suportados por nove campos de análise (três em cada domínio). A escala de avaliação, além dos anteriores níveis, passou a contemplar o Excelente.

Não conheço bem o caminho para chegar a esta ou aquela conclusão, nem tenho argumentos suficientes e razoáveis para discutir os relatórios elaborados pelas equipas de trabalho. Tenho conhecimento dos resultados que vão sendo divulgados no sítio da Inspeção Geral da Educação e Ciência. Com esta ressalva, não resisto a transcrever do sítio já identificado, alguns dados estatísticos referentes a 1107 escolas avaliadas entre 2006 e 2011.

Domínio
Muito Bom %
Bom %
Suficiente %
Insuficiente %
Resultados
       8,1
     60,5
     30,4
        1
Prestação do serv.educativo
     11,3
     67,6
     21
        0,1
Organiz. e gest. escolar
     26
     64,7
       9
        0,3
Liderança
     33,8
     53,6
      11,9
        0,7
Capacidade de autorregul. e melhoria
       5,1
     41,6
      48,8
        4,5

No novo ciclo de avaliação 2011 - 2012, os domínios e fatores que os suportam apresentam diferente estruturação. O tratamento estatístico dos resultados deste ciclo, ainda não se apresenta disponível. Limito-me, no quadro seguinte, a identificar “domínios” e campos de análise e avaliação.

Domínio
                              Campos de análise
Resultados
Académicos
Sociais
Reconhecimento da comunidade
Prestação do serviço educativo
Planeamento e articulação
Práticas de ensino
Monitorização e avaliação da aprendizagem
Liderança e gestão escolar
Liderança
Gestão
Avaliação e melhoria

VIII - Algumas conclusões e muitas interrogações

Os dados estatísticos do primeiro quadro, linearmente transcritos, sugerem algumas conclusões e muitas interrogações.

1- 90% das escolas avaliadas entre 2006 e 2011 apresentam uma “Organização e gestão escolar” com avaliação de Muito bom (26%) ou Bom (64%).

2-  87,4% das escolas avaliadas durante este ciclo obtiveram, no domínio “Liderança”, Muito bom (33,8%) ou Bom (53,6%).

3-  Os resultados referentes aos domínios “Prestação do serviço educativo” situam-se nos 78,9% - Muito bom (11,3%) e Bom (67,6%), sendo 21% Suficiente.

4 - No domínio “Resultados” a avaliação apresenta Muito bom (8,1%), Bom (60,5 %) e Suficiente (30,4 %).

5 – A capacidade de “Autorregulação e melhoria”, globalmente, não vai muito além do Suficiente.

Esta observação de dados permite inferir:


As escolas portuguesas dispõem de boa ou muito boa “Liderança”, “Organização e gestão”. São estes os domínios e os fatores em que as escolas portuguesas obtêm melhor avaliação. Porém, esta inferência, quase ingénua, parece não encaixar nos restantes dados e permite colocar algumas interrogações:

1-   Como é que a maioria das escolas obtém resultados muito bons nos domínios referidos se a “Prestação do serviço educativo” está longe destes valores, com 21% das escolas a serem avaliadas com Suficiente?

2- Como é que os “Resultados” são Suficientes em 30,4% das escolas, com “Liderança, “Organização e gestão” avaliadas com Muito bom ou Bom?

3-  Não são os órgãos de gestão que organizam a prestação dos serviços educativos que apresentam sofríveis resultados?

Trata-se de uma avaliação que vale o que vale, claramente discutível. E se não o é, explique-se…porque nem todas as peças deste puzzle se encaixam.
                                                                                                          (Continua)