sábado, 2 de fevereiro de 2013

AVARIAS…



- Bem vindo à EDP, distribuição. Serviço de avarias elétricas. Se a sua chamada tem a ver com avarias... marque  dois… três…

Marquei. Três. Fiquei à espera… à espera, à espera.

- Devido a um anormal afluxo de chamadas … não é possível ficar em lista de espera…

Tentemos novamente.

- Bem vindo à EDP, distribuição. Serviço de avarias elétricas. Se a sua chamada tem a ver com avarias... marque dois… três…

Marquei. Três. Fiquei à espera, à espera, à espera.
… … …
- A sua chamada será atendida dentro de dois minutos… (música roufenha: prum, prum…prum…) Dentro de um minuto…. (prum…prum...prum…). 

Afastei o telemóvel do ouvido.

- Dentro de trinta segundos…(prum…brum...tr...tr...tátátá…prum…prum…). Dentro de instantes…

- Bingo, consegui, vou ser atendido dentro de instantes! – Gritei para o silêncio escuro da casa.
- (Pausa) A sua chamada encontra-se em lista de espera. (Brrum, brum...brr… prum…prum…).
- Mau! Voltei ao princípio. Mas não desisto!

Do outro lado, apenas se ouviam pausas e rouquidão. Não sei que som era aquele: de trompete, clarinete, orquestra desafinada, disco riscado…seria do tempo? Que coisa! Sei que estavam a dar-me música. Muita música. (prum…prum…prum…).

- (De novo) A sua chamada encontra-se em lista de espera.
- Então para que foi aquela contagem decrescente: dois minutos…um...trinta segundos…zero… (?)
- (Outra vez) A sua chamada encontra-se em lista de espera.

O tempo passa. O telemóvel salta de um ouvido para outro. Os sons da EDP não eram música, tornaram-se num massacre.

- A sua chamada encontra-se em lista de espera… continuava a voz seca da menina. Outra vez...de novo, outra vez!
- Teimoso, como a teimosia da EDP, vou resistindo. Já agora quero ver onde é que isto vai parar. Prum...prum…prum…

Passaram quarenta e cinco minutos. Pi…pi….pi…

- É agora. Chega de espera, quarenta e cinco minutos é muito tempo! Sejamos benevolentes:  “devido ao anormal afluxo de tráfego…”

Chove, o vento rijo e veloz estremece e parece querer acalmar.

- A situação é a seguinte…
- Diga-nos o código do local.
- Disse e expliquei a situação.
- Ainda hoje uma equipa técnica passará pelo local. No caso de ser necessário contactá-lo, pode ser para este número?
- Sim este…ou um outro…

Eram cerca de vinte horas e quarenta e cinco minutos. Aguardemos. Esperemos pela equipa técnica que ainda vem hoje resolver o problema. Meia-noite… meia-noite e trinta. Uma hora. Fiquemo-nos por aqui. Os homens já não vêm hoje. É noite escura e eles têm mais que fazer.

Entendamo-nos: devido ao anormal afluxo… A sua chamada será atendida dentro de dois minutos… dentro de um minuto… Dentro de trinta segundos…Dentro de instantes.

Não foi. Estava perante um deus: um instante era a eternidade. 

O sono fugiu dessa noite e sentou-se à porta da casa, à espera da equipa técnica prometida. (Continua)