quinta-feira, 8 de agosto de 2013

LOUVOR

“NÃO COPIES. SÊ ORIGINAL. O “COPY/ PASTE” NÃO COMPENSA”.

Depois de publicar o texto titulado “louvor (es) – ainda dizem que não há coincidências”, voltei a ler o louvor divulgado no Jornal Torrejano, na sua edição nº 882 – II série – Ano 19 de 26 de julho de 2013.

A primeira leitura não me tinha enganado: o texto publicado no jornal é o mesmo plágio não assinado, com a agravante do “copy/paste” estar mal feito.

Vale a pena ler, de novo:



Para além do que já referi no “post” anterior, pouco há de novo e o que há é de somenos: “Os docentes e não docentes da escola Secundária de…louva, em reconhecimento do exercício…”

Pois é… quem fez o “copy/paste” esqueceu-se de alterar o verbo. Coisas que acontecem aos melhores e mais competentes, mesmo nas estórias irreais.


É uma pequena estória, mas como “toda a estória que se preze” deve ter uma lição moral, aqui vai: “NÃO COPIES. SÊ ORIGINAL. O “COPY/ PASTE” NÃO COMPENSA”.