quarta-feira, 7 de agosto de 2013

LOUVOR(ES)

                     
                      Ainda dizem que não há coincidências

Circulam pela NET muitos louvores. Por dá cá aquela palha, há sempre alguém a chegar-se à frente, disposto a louvaminhar e a propor louvores pelas mais diversas razões que não vêm ao caso referir.

Numa das viagens pela Net, encontrei os mais variados louvores, uns publicados no DR e, ou, nas páginas das escolas, outros andam, simplesmente, à deriva nos sítios sociais. Dois deles chamaram-me mais a atenção. Estão separados por um ano e aconteceram em escolas diferentes e razoavelmente distantes uma da outra. O primeiro tem data de 11 de julho de 2012 e é um louvor a um professor diretor de agrupamento. O segundo é de julho/agosto de 2013 e é um louvor, ou proposta de louvor, a uma diretora de escola.

Vale a pena ler:

1 - Louvor a um professor diretor





2 - Louvor a uma professora diretora

A diretora visada no segundo texto perdeu três palavras elogiosas relativamente ao seu colega louvado um ano antes: elevada; profundo e grandioso, mas valorizou a escola pública em vez do ensino e educação.

 Coisas de pormenor, mas que foi uma pena, foi.

Comentar para quê?