segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

BOM ANO


"O novo ano tem cheiro a esperança com uma pitada de pólvora”.

Abri o correio eletrónico e dei-me com esta mensagem de CN. Fora do comum, foge da frase feita e dos trejeitos dos rituais que o tempo vai desvalorizando.

De facto, hoje despedimo-nos de 2012 com uma mão cheia de nada. Há um ano, fazíamos os mesmos festejos, as mesmas despedidas e formulávamos os mesmos votos de esperança, provavelmente mais convictos e menos tristes e inquietos.

São onze horas da noite. Daqui a pouco estaremos em 2013. O vento sopra. As nuvens são densas. Sentados à lareira, tecemos esperanças, sem pitadas de pólvora.

“Um bom ano, muito melhor do que apregoam”, escrevia a Dora. É isso: bom ano com um cheiro a esperança. Mas chove. Chove muito.