quarta-feira, 17 de julho de 2013

ESTÓRIAS DE ENCANTAR

3 – Coisas da minha ignorância: complicar o que era simples

A tarde estava quase no fim e o sol esqueceu-se de entardecer bonito.
- Talvez a loja dos correios (CTT) ainda esteja aberta.
E estava. Ainda não tinha virado papelaria, nem mudado para a tasca do perigoso onde ainda se jogavam as cartas e os matraquilhos a copos de vinho tinto.
Senhor do meu nariz, mas sem senhorias nenhumas, entrei, carreguei no botão da maquineta e esperei pelo papelito que me dava a hora de chegada e a ordem de atendimento. Agora, era só esperar que o meu número aparecesse no quadro eletrónico.
Não esperei muito tempo; o meu número apareceu cedo.
Encostado ao balcão, puxei do bolso o invólucro-mensagem – nem carta chegava a ser – coloquei-o em cima do balcão e expliquei ao que vinha:
- Encontrei na caixa do correio este invólucro registado, mas que eu saiba, ninguém assinou.
- Deixe ver. Ah! É um registo simples, não é preciso assinar. O carteiro deixa-o na caixa do correio como se fosse uma simples carta. É que agora há este tipo de registos… não exigem assinatura aquando da receção.
Ouvi e não pronunciei palavra…
- Pois, foram milhares… é para pagar o imposto… o antigo selo do carro…
- Mais ou menos isso.
- O registo simples não exige assinatura.
- Então, há o registo simples e o…outro?
- Este registo não exige assinatura no ato da receção...É um registo simples!
Tudo estava claro.
Desencostei-me do balcão, baloicei o corpo e caminhei para a porta. Na cabeça martelava-me a pergunta: - mas para que raio serve um registo simples? E se o carteiro o coloca noutra caixa de correio, como não raras vezes tem acontecido? Como é que provam que foi entregue? – Não faz sentido.
Pelo caminho fui descodificando “simples” e “complicado”: Simples do latim simplex (semel + plex) que significa “com uma única dobra, sem dobras, sem complicações; “complicar” – do latim complicare, isto é, ação de dobrar, em contraste com simplificar.
Afinal fui eu que dobrei o envelope várias vezes e compliquei. A coisa era simples”, “sem dobras” para as finanças e “complicada” para os perto de 4000 automobilistas notificados: tinham que pagar.
No dia seguinte, segui para as finanças.